Transplante Capilar

Calvície

A Calvície ou Alopécia androgenética, é uma forma de queda de cabelos geneticamente determinada. É relativamente frequente na população. Homens e mulheres podem ser acometidos pelo problema, que apesar de se iniciar na adolescência, fica mais aparente por volta dos 40 anos. Apesar do termo “andro” se referir ao hormônio masculino, na maioria das vezes os níveis hormonais se mostram normais nos exames de sangue, visto que o problema não está na concentração de testosterona no sangue mas sim na transformação local (no folículo) do hormônio em seu metabólito ativo. A doença se desenvolve desde a adolescência, quando o estímulo hormonal aparece e faz com que, em cada ciclo do cabelo, os fios fiquem progressivamente mais finos e finalmente caiam.

Alopécia androgenética tem cura?

Como é determinada geneticamente, não, não tem cura. Porém dispomos hoje de uma vasta gama de recursos para minimizar ou atrasar os prejuízos causados por ela. Tanto para aumentar a duração do ciclo do cabelo, fortalecer o fio, provocar nascimento de novos fios e finalmente recuperar áreas já drasticamente afetadas, são eles:

  • tratamento medicamentoso via oral;
  • tratamento medicamentoso injetável no couro cabeludo;
  • transplante capilar.

Transplante Capilar

O que é transplante capilar?

É o ato cirúrgico de remover um folículo capilar sadio, de uma área geneticamente não afetada pelo hormônio (área doadora) e transferi-lo para a área calva (área receptora). Pelo fato desse folículo não ter a sensibilidade hormonal para a calvície, costumamos dizer que o transplante é definitivo. A área a ser eleita como “doadora” normalmente é um pouco acima da nuca, e em cada cirurgia pode-se tirar até 25% dos folículos dessa região.

Transplante capilar sem cicatrizes: técnica FUE

O que é Transplante capilar FUE?

FUE (Folicular Unit Extractions) é a mais nova técnica cirúrgica em que cada folículo é retirado por incisão própria, os orifícios gerados são de 1mm, resultando num processo cicatricial rápido e imperceptível. Como não há cicatrizes lineares como na antiga técnica, é possível que o paciente use o cabelo bem curto.

O que preciso para fazer a cirurgia?

Uma avaliação médica detalhada para afastar outras causas da calvície e exames laboratoriais simples para garantir que os níveis de vitaminas, minerais e hormônios estejam bem para propiciar o crescimento dos folículos transplantados. Nesta consulta também será abordado o tratamento dos cabelos que ainda não caíram, para que tenham suporte e maior sobrevida, visto que se trata de uma doença crônica.

Quais os Cuidados pós cirúrgicos?

48h com curativo fechado, depois disso, higiene diária com água morna, sem pressão, por uma semana. É Importante evitar chuveiros de alta pressão por 20 dias para não perder enxertos. Atividades físicas leves após 14 dias. Esportes que envolvam bola, afastamento de 3 meses. A grande maioria dos pacientes volta ao trabalho em 72h, já com aspecto normal. Se achar confortável, pode fazer uso de touca ou chapéu, sem costuras, para encobrir a evolução cirúrgica.

E a dor?

O transplante é feito com o paciente sedado, dormindo. Usam-se anestésicos locais que garantem grande conforto intra e pós-operatório. A alta hospitalar é imediata após o procedimento e a analgesia simples, via oral, em casa é suficiente para controlar possível dor.

O procedimento de transplante capilar, pelo método FUE é realizado pela Cirurgiã Geral Dra. Patrícia Ferrarini Gusella e equipe, nas dependências do Hospital da Comunidade Annes Dias, em Ibirubá, RS.

Fale Conosco

Entre em contato, tire suas dúvidas, agende um horário

Rua Firmino de Paula, 847
Centro - 98200-000 - Ibirubá, RS
Fone: (54) 3324-1483
contato@patriciagusella.com.br

ver no mapa